Bem-estar

MEDICINA INTEGRATIVA
E AUTOCUIDADO PARA TRATAR A INSÔNIA

por

Quarentena é também um período de mudanças de hábitos que podem nos deixar mais sensíveis (à flor da pele, muitas vezes) e desregrados. Para mim, ficou mais difícil dormir. E se pra você também está assim ou sempre foi, a entrevista com a terapeuta de Medicina Integrativa Paula Gribel pode servir como um guia que traz clareza sobre o assunto e também nos dá dicas do quê podemos incorporar na nova rotina. Práticas simples que podem salvar a noite e nossa reconciliação com o bom sono (quem não está com insônia?), além de um programa com 12 minutos de meditação para fazer já na cama. Espero que seja uma leitura proveitosa e que tudo fique melhor!

Foto: Annie Spratt / Unsplash

Lila: Percebi que nos últimos dias tenho perdido o sono ou demorado demais para dormir, mesmo muito cansada do dia. Isso já pode ser chamado de insônia?

Paula: Sim. Insônia é a interrupção da capacidade de sono. Ela pode ser pontual, ocorrendo em um período curto, ou crônica. E quando começa a atrapalhar a nossa capacidade na vida diária é o momento de pedir ajuda profissional.

Lila: Quais são os maiores causadores da insônia ou, melhor, a insônia pode ser sintoma de que?

Paula: A insônia pode estar associada a muitas doenças sistêmicas e do sistema nervoso. Os maiores causadores de insônia são: stress, uso de medicamentos, ansiedade, uso excessivo de cafeína, depressão, dor crônica, tabagismo, alcoolismo, trabalho noturno e até uso excessivo de telas e monitores.

Lila: Quais os maiores riscos para a saúde quando passamos a noite sem o descanso adequado?

Paula: Déficit da capacidade cognitiva e atividade cerebral, baixa imunidade, irritabilidade, baixa produtividade, confusão mental, fadiga e desenvolvimento de doenças sistêmicas.

Lila: Você desenvolveu um programa de meditação para quem está com dificuldades para dormir e antes dele indica a ingestão de alimentos para repor serotonina e melatonina. Pode nos falar mais sobre essas questões hormonais e como uma alimentação adequada pode nos ajudar?

Paula: A serotonina e a melatonina são substâncias produzidas no nosso corpo para o bem-estar, a saúde e o sono tranquilo. Ter boas noites de sono é importantíssimo para o funcionamento do nosso cérebro, para nosso estado psico-emocional e para nossa imunidade. A alimentação está intimamente ligada à produção correta de neurotransmissores e hormônios ligados ao sono. A melatonina é um hormônio (conhecido como hormônio do sono) sintetizado principalmente na glândula pineal (a glândula mestra que conecta com a alma) e o precursor da melatonina e da serotonina é o aminoácido, essencial triptofano que pode ser encontrado em diversos alimentos como aveia, banana, figo, nozes, castanhas, arroz integral, ovo, lentilha, semente de abóbora, linhaça, tofu, feijão azuki, etc… Há também alguns alimentos que estão ligados ao fortalecimento da pineal, essa nossa glândula na altura do terceiro olho que parece uma pinha, responsável por nossa intuição, insights, criatividade e pelos ciclos circadianos de vigília e sono, pois nela é produzida justamente a melatonina que é essencial não só para o sono, mas também para o rejuvenescimento. Portanto, seu déficit causa reações em cadeia que podem levar à diminuição de serotonina, depressão, apatia, fadiga crônica e insônia. Outras recomendações para ativar e desbloquear a pineal: ambiente tranquilo e calmo, luz baixa, meditação, oração e agradecimento, alimentos como cúrcuma, chlorella, algas em geral, vinagre de maçã, beterraba, óleo de coco e coentro.

Lila: O que não devemos ingerir definitivamente antes de deitar?

Paula: Café, mate, chá preto e qualquer estimulante que possa inibir a produção de melatonina e serotonina.

Lila: Tenho a impressão de que os remédios alopáticos para dormir não resolvem o problema, só vão adiando a questão. Sempre penso que existem caminhos mais naturais para um resultado mais verdadeiro. O que pensa sobre isso?

Paula: Os remédios pra dormir são supressores de funções orgânicas importantes que a médio e longo prazo geram consequências para o nosso sistema nervoso. Olharmos para a causa dos problemas e focarmos em promover o equilíbrio verdadeiro entre os sistemas nervoso, endócrino, imunológico, emocional e espiritual é o caminho verdadeiro para o resultado curativo. Até porque temos muitos recursos dentro da Medicina Integrativa (Medicina Chinesa, Naturopatia, Ayurveda, Fitoterapia, Terapia Alimentar…).

Lila: Quais os tratamentos possíveis dentro da Medicina Quântica e Integrativa para problemas do sono?

Paula: Terapia nutricional, fitoterapia, acupuntura e auriculoterapia, yoga e meditação (reprogramação cerebral), florais quânticos, reposições de vitaminas, oligoelementos e substâncias essenciais da natureza, para equilíbrio do sistema nervoso, terapia crânio-sacral, cromoterapia.

Lila: Dormir durante o dia ajuda?

Paula: Depende. Em termos de saúde nada é absoluto, tudo depende do indivíduo a ser tratado e o ambiente que compõe o seu universo. Em geral, pessoas insones devem regular horários de acordar e dormir, manter uma rotina, alimentar, exercícios e horários de dormir. Mas nem só de regras vivemos, porém pessoas com alto nível de stress liberam muito corisol (hormônio do stress) na corrente sanguínea que deixa o sistema nervoso simpático (de fuga e luta) constantemente acionado, o que gera um estado de alerta contínuo, inclusive ao longo da noite. Desta forma, uma dormida ou apagão no meio do dia por exautão pode quebrar o ciclo de vigília permanente. Portanto, nossa principal aliada da saúde é a observação das demandas do nosso corpo.

Lila: Você desenvolveu um programa para trabalhar o relaxamento e o sono profundo, são 12 minutos de meditação. Pode compartilhar aqui com a gente?

Paula: Claro! Faça o melhor e desobrigue-se, se acolha, permita silenciar e soltar, seja compassivo com você, mude a rota, desplugue, libere, descontrole, entregue e confie. Ao fim do dia, diminuir a luz é uma boa atitude. Minimizar o uso de telas depois do jantar ajuda muito nossa produção de melatonina, hormônio que gera bem-estar, rejuvenescimento e sono tranquilo. Na cama, respirar por 3 minutos longo, lento e profundo. Por mais 3 minutos tampar delicadamente a narina direita respirando só pela esquerda (canal de passagem de prana que se chama ida, que refresca, limpa, acalma amente). Por mais 3 minutos escaneie todo seu corpo, começando pela cabeça, relaxando todos os músculos do corpo, de cima para baixo começando pela testa, olhos, mandíbula, garganta e descendo para todos o resto soltando braços e pernas, deixando pesar completamente sobre a cama. Por último pressione a ponta da língua contra o palato (isso vai conectar com a pineal), leve o queixo ligeiramente para trás e olhe para baixo, mantendo uma respiração longa e profunda. Isso vai mudar toda nossa frequência cerebral, equalizar os hemisférios, equilibrar glândulas cerebrais.

*Paula Gribel (@paulabribel) é terapeuta com formação e especialização em Medicina Chinesa, Fisioterapia, Osteopatia, Herbologia, Naturopatia, Ayurveda, Kundalini Yoga e Meditação. Há 20 anos desenvolve um trabalho interligando essas técnicas e terapias para o desenvolvimento e equilíbrio físico, nutricional e emocional. Passou por formações na China- Beijing Institute, India-Banaras University, USA-American College of Traditional Chinese Medicine, Taoismo Mantak Chia pelo Universal Tao Center e é instrutora de Kundalini Yoga pelo 3HO Foundation. Durante a quarentena ela atende online em consultas que levam cerca de uma hora e meia para tratar questões do corpo físico e emocional. Para saber mais, entre em contato: (21) 992078851.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter!

UMA ALIMENTAÇÃO PODEROSA PARA O SISTEMA IMUNOLÓGICO

Você pode também gostar de

Sem comentários

Deixe uma resposta