Lifestyle/ Post

RESTAURANTES VEGANOS E VEGETARIANOS VERSÃO GOURMET

por

Não sou vegetariana nem vegana, mas sempre frequentei restaurantes do gênero. Há quase 20 anos, quando trabalhava na TV Bandeirantes, fazia uma parada na metade do caminho do Morumbi, ali na João Cachoeira, para comer no Cachoeira Tropical, um dos ícones da especialidade. Teve época em que almoçava quase que diariamente no Cereal Brasil, um vegetariano baiano no meu bairro, na Vila Madalena. Sempre apreciei a comida, mas o ambiente sem charme não me acrescentava muito: parecia aquela versão saudável do boteco simples da esquina, sem muita preocupação com a estética do ambiente. Em outros endereços do tipo na cidade (SP), quando havia decoração, parecia que obrigatoriamente ela precisava evocar elementos do movimento hippie/cultura indiana. Como se, ao deixar de comer carne, automaticamente todos comprassem um kit de incenso de patchouli e um par de sandálias rasteirinhas de tiras de couro. Nada contra, inclusive amo um patchouli, mas o hábito alimentar não necessariamente precisa determinar todo um lifestyle. Neste e em outros quesitos, os novos restaurantes vegetarianos e veganos que vêm surgindo em São Paulo são completamente diferentes de seus pioneiros.   

comida vegana e vegetariana sao paulo
Barca de Pupunha do Purana

Quincho, Teva e Purana são três bons exemplos deste movimento. Para começar, muitos nem se audodenominam mais veganos ou vegetarianos, mas “plant based”. Embora usar termos moderninhos em inglês para renomear algo que já existe faz tempo possa causar uma certa preguiça, não é exatamente a mesma coisa: baseado em plantas, como a tradução sugere, este cardápio corta processados e industrializados, foca no que vem da terra e não exclui o consumo eventual de carne (nenhum dos endereços que escolhi tem opção de carne no menu, mas para quem não se incomoda com porções generosas de atum na mesa ao lado, o Botanikafé se encaixa bem neste conceito “plant based”, com bowls de cremes de fruta deliciosos).

Pitaya bowl do Botanikafé

O ambiente é o de restaurante de fim de semana, não do quilo do almoço executivo. Muitas plantas, decoração casual contemporânea marcam tanto o Teva, inaugurado há seis meses em Pinheiros (depois do sucesso do endereço original, no Rio) quanto o Quincho, na Vila Madalena desde abril de 2018. Já o Purana, aberto em dezembro passado, faz a linha zen com design clean minimalista.

O Teva e o Purana são veganos, enquanto o Quincho, vegetariano (usa ovo e derivados de leite em alguns pratos, mas pode pedir pra fazer a versão vegana em vários). No Quincho, a pegada é mais gourmet, assim como no Teva. Já no Purana, da apresentadora do GNT e autora de “Diário de uma Vegana”, Alana Rox, as receitas também são bem elaboradas, mas o conceito é o de cura por meio da comida, com bowls com combinações vegetais que trazem certos benefícios à saúde, assim como shots e refrescos probióticos de kombucha. 

Bali Bowl, do Purana

Os três servem drinks alcoólicos e vinhos orgânicos, o que afasta ainda mais essa ideia de dieta ou reeducação alimentar que muitos restaurantes naturais trazem. Mesmo no Purana, você sente que está fazendo bem para o seu corpo, mas esse é quase um efeito colateral do menu: os pratos são coloridos, bonitos e, pelo menos o que eu comi, muito bem servidos. Se a escassez de comida é seu receio, peça o Bali Bowl, com quinoa, abóbora assada com especiarias, feijão vermelho e favas, repolho roxo, verdes, guacamole e molho de tahine. Fiquei sem fome até o jantar. 

Nhoque de ricota do Quincho

Os molhos fazem toda a diferença, e os do Quincho são especiais. Deste restaurante, o meu atual vegetariano preferido da cidade, posso falar de muitos pratos saborosos num nível de quem é carnívoro de carteirinha se render e pedir para voltar (meu marido, no caso). A sensação que tenho é a de que as receitas são elaboradas pensando em alguém que quer comer bem e ponto. O fato de não ter carne parece apenas um detalhe. Para se ter uma ideia, meu filho de 10 anos (que come carne) considera o estrogonofe de cogumelos do Quincho um dos melhores que já comeu. O bolovo, com massa de pupunha, é outro destaque, e o nhoque de ricota com molho bechamel, o meu prato predileto de todos. 

teva restaurante
A couve-flor do Teva

Sucesso entre muitos amigos do mundo da moda, o Teva, vindo do Rio, é maior, bem bonito. Minha experiência lá não foi tão bem-sucedida quanto à do Purana e do Quincho, achei as porções menores do que as dos outros restaurantes, embora com o mesmo preço. Pedi a couve-flor com molho Picatta cítrico, achei o sabor muuuito suave, além de ter ficado com fome. A batata com queijo de remoço e azeite trufado é bem gostosa. Talvez valha voltar para testar outros pratos. 

Você pode também gostar de

Sem comentários

Deixe uma resposta