Bem-estar

NÃO SUBESTIME O PODER DAS PEDRAS, SE VOCÊ ACREDITA NELAS

por

Estava usando o meu gua sha de pedra da lua nas pernas como uma drenagem linfática no final de um dia em que passei muitas horas trabalhando em pé. O alívio foi imediato e o ritual, totalmente anti-stress. Fiquei tão satisfeita por ter esse massageador, nem achei que ia usar tanto, mas naquele momento me dei conta de que, desde que comprei, não me preocupei em limpá-lo. Não falo de tirar os resíduos de óleo ou de creme, falo de limpá-lo energeticamente. Claro, se ele é feito de uma pedra capaz de gerar e trocar energia, o gua sha, assim como todos os cristais, deve ser purificado de tempos em tempos ou, idealmente, sempre que usado. Isso eu aprendi com a litoterapeuta Letícia Grossi, num workshop sobre a força dos cristais. Sim, eles são poderosos (eu acredito neles) e é por isso, e pela beleza magnética dessas formações cristalinas, que queremos tê-los por perto. De cara, o conselho da terapeuta é: “Observe o reflexo da energia das pedras no seu dia a dia, no emocional, no humor e crie uma consciência ao escolher o uso de cada uma delas”.

Foto: Josshua Fuller, No Unsplash

Os massageadores são um exemplo desse desejo. Tanto o gua sha, como o roller, feitos geralmente de ametista, quartzo rosa ou verde e que este ano fizeram o maior sucesso. Mais ainda, as joias em contato direto com a pele também são pequenas usinas energéticas das quais não desgrudamos. É automático. Passamos dias, meses, anos usando continuamente as mesmas peças, como as alianças ou os brincos de segundo furo. De acordo com a Letícia, as pedras preciosas translúcidas, as gemas, são as de maior poder vibracional e que trabalham mais intensamente em suas propriedades. Os diamantes ocupam o topo na hierarquia das mais preciosas e também das mais poderosas de cor clara. Assim como a safira é uma das mais fortes pedras azuis, o rubi em relação a outras pedras vermelhas, e a esmeralda ou turmalina reinam sobre as verdes. As cores das pedras as colocam numa mesma família com funções terapêuticas semelhantes, mas, no fim, todo cristal, translúcido ou não (os popularmente chamados de pedra) tem influência sobre nós. Na Litoterapia, aliás, é comum começar tratamentos com pedras de frequências mais baixas para que elas façam um trabalho sutil, leve e homeopático. Em certos casos, o terapeuta pode recorrer a pedras mais intensas, quando realmente necessário.  

Tudo isso é para lembrar de não esquecer, como eu esqueci. É importante dar crédito ao poder das pedras e ficar atento na hora de escolher o que usar. Mais importante ainda é limpar, reenergizar e cuidar para não exceder essa relação com certos cristais, principalmente com os pretos, como a turmalina e o onix. Eles são ótimos companheiros, protetores naturais, captam energias negativas, mas não são capazes de catalizar tudo sozinhos. Acabam absorvendo o que depois precisamos descartar com os nossos rituais de limpeza sem preguiça. Até porque, existem várias formas de limpar os cristais e a mais simples de todas é colocando-os em cima de placas de selenitas brancas ou num bowl feito desses cristais que limpam e reequilibram qualquer corpo e ainda se recarregam sozinhos.

É muita tecnologia, coisa de bilhões de anos, às vezes difícil de acreditar. Acontece que, por conta da formação molecular perfeita e simétrica dos cristais, eles produzem uma energia que reverbera no campo físico, material, e isso chega até muito profundamente nos nossos corpos, já que somos mais água do que qualquer outra coisa. Na ciência não existem estudos muito precisos, pelo que pesquisei, até encontrei um artigo interessante que levanta essa e outras questões, leia aqui. O fato é que toda essa força ficou bem clara para mim quando me deitei numa maca e senti os efeitos dos cristais numa sessão com a Letícia, lá na Casa Madre Luna (sobre isso vou contar em outro post). Nesse mesmo dia, ela me passou uma receita de elixir para tomar durante 25 noites. Um copo d’água com duas pedras específicas que devem descansar ali por pelo menos doze horas. Desde a primeira noite já percebi os efeitos do tratamento. Fiquei imaginando como seria tomar água diariamente naquelas garrafas de vidro com as pedras em formato de bastão. Me pareceu meio perigoso, quase uma armadilha que pode confundir e até causar o contrário do que vendem que é o bem-estar. Sem conhecimento, o efeito desse elixir pronto e comercializado livremente como algo inofensivo pode ser rebote. Letícia comparara com automedicação e indica o acompanhamento de um terapeuta para esse tipo de prática. Faz sentido. Para mim, cada vez mais, é real e oficial: cristais são poderosos! Portanto, para quem compra essa ideia também, é bom ter cuidado e respeito com eles e com a nossa saúde. Nunca é demais!

+ Leia também: Cristais não brotam, mas a gente sempre quer mais!

Você pode também gostar de

Sem comentários

Deixe uma resposta