Receba nossa newsletter

Vivendo em São Paulo há 8 anos, sou mestra nas justificativas que precisei listar para quem ficou sem entender minha escolha repentina. Trocar de cidade foi de fritar os miolos dos apaixonados pela magia do Rio.

De fato, é complicado sair de um lugar que respira a vida outdoor. Perder o frescor nas ruas de uma gente sempre molhada de suor e mar, o fundo de Bossa Nova num passeio pelo Leblon…. a confusão deliciosa da Zona Norte… e, sim, essa sensação tem um quê de saudade e outro de desilusão.

O Rio, no entanto, continua lindo, mas São Paulo é a minha casa. Vejo além das aparências da cidade cinzenta e sem amor, e sinto por todos os lados movimentos que injetam aqui uma energia revigorante e acolhedora. São Paulo me convida para ficar. Viver aqui é também tocar as pessoas de verdade na multidão, reconhecer o simples onde tudo parece mais sofisticado.

Descobrir redutos onde isso se concretiza é ter um lugar para respirar melhor. O bairro de Pinheiros, por exemplo, é cheio desses ecossistemas pulsantes como o Bona, que é mais do que um restaurante ou uma casa de shows intimista. Ali, ancoram pessoas com um mesmo desejo por uma cidade leve e desacelerada.

O casal Manuela Fagundes e Kike Moraes são os responsáveis por manter a atmosfera de encontro do restaurante na ativa desde 2015. Agora, o espaço tem um palco central e sua acústica foi adaptada para privilegiar a música. “Nosso programa preferido em qualquer cidade é ir a shows. A ideia era transformar o Bona num ambiente como a sala da casa de um músico que recebe amigos para uma performance e ainda serve uma comida gostosa e saudável, como as rodas de violão que a gente faz no nosso sítio”, conta Manu.

Manuela e Kike no sítio São Domingos, em Itu, onde são produzidos parte dos ingredientes servidos no Bona. De lá, chegam legumes, verduras, temperos, pães de fermentação natural e ricota

Manu também canta e Kike toca baixo num trio de Jazz, Blues e Música Brasileira com Edu Camargo (guitarra): o Manu Fagundes Trio. A curadoria musical do Bona é feita como a seleção dos ingredientes da casa, a dedo e com o que encanta a dupla

Fotos: Victor Affaro

Vejam o vídeo para conhecer mais sobre o projeto e acessem o site do Bona para acompanhar a agenda de shows, que acontecem à noite de terça a sábado, todas as semanas! É um convite para desligar o modo alerta e sentir o lado bom da vida de olhos fechados.

 

 

disco de crochê make up sustentável
.
Beleza de verdade é aquela que vem de dentro, e lindo mesmo é a gente se cuidar pensando em como impactar menos o planeta. Por isso, faz tempo que as marcas de cosmético estão na busca por alternativas para que o ritual diário de make up seja cada vez mais sustentável e não perca o seu charme!
.
Uma sugestão sustentável para o ritual de beleza não perder seu charme!
.
A Face It – marca brasileira produtora dos batons mais lindos, naturais e veganos – acaba de lançar sua coleção de discos de crochê com 5 cores para remover a maquiagem ou simplesmente limpar a pele no lugar dos lenços umedecidos ou do algodão.  
.
Desenvolvidos artesanalmente na cidade Lauro de Freitas, na Bahia, os discos são feitos de linha 100% algodão, totalmente hipoalergênica. São laváveis e reutilizáveis e podem ser lavados com sabão neutro de forma delicada depois de cada uso. 
.
discos de crochê coloridos demaquilante sustentável
.
Em pink, ultravioleta, branco, lilás e castor, cada disco custa R$ 9,00. O conjunto com as 5 cores sai por R$ 39,00 no site da Face It ou nas lojas que vendem seus produtos (vejam os endereços aqui).