Receba nossa newsletter

SABERES OCULTOS

O que a ciência não consegue provar, mas a sabedoria oculta resistente ao tempo usa em benefício do ser humano, é algo que sempre me atraiu e convenceu. Assim, olho para os tratamentos holísticos com muito respeito e curiosidade. Tenho vontade de conhecer todos e os que ainda estão por vir. Me parece que há uma evolução neste sentido. Métodos milenares e novas ferramentas se cruzam e expandem as possibilidades de cuidado integral, levando em conta nossa complexidade e a saúde de todos os corpos: fisico, emocional, espiritual e energético. Sem hierarquia, em algumas práticas é possível uma abordagem total de cura e prevenção de desarmonias e doenças. Penso que o futuro da medicina é outro. Cada vez mais vamos usar esses saberes e cada vez menos vamos precisar de remédios.

Adoro pensar assim e acredito que no lugar de um “tarja preta”, ou antes de precisar usá-lo, podemos tocar e transformar a origem do caos emocional e mental, evitando até somatizações na matéria. O autoconhecimento também é um bom caminho para entendermos nossos limites e potenciais. É uma forma mais otimizada de viver. Se sabemos sobre nossas tendências destrutivas, nossos pontos fracos, ou se conseguimos desenvolver inteligência emocional e ter a percepção do que precisamos em todos os níveis, do físico ao espiritual, tudo fica mais harmônico. Essas são as minhas palavras meio tentando tatear o assunto metafísico pelo que sinto, mas, lendo sobre o legado de Jung em diversos livros, o termo “percepção” era usado por ele para falar de uma consciência maior, extra-cotidiana, que assimila também conhecimentos e dados não-racionais, pontes de comunicação com o inconsciente coletivo e o Universo, dos quais indiscutivelmente somos parte. Essa consciência seria capaz de dar mais sentido a tudo e de proteger a saúde integral do ser.

No livro Espiritualidade e Transcendência, uma coletânea de textos de Jung, me deparei com algumas linhas que fundamentam as minhas suspeitas de forma genial: “… o homem não pode avançar por conta própria se não possuir um conhecimento mais apurado a respeito de sua própria natureza” e ainda: “A psiconeurose, em última instância, é um sofrimento de uma alma que não encontrou o seu sentido”. Quanto mais consciência, mais equilíbrio e saúde. Jung credita ao homem o poder de se ligar a uma filosofia sutil, através de uma capacidade psíquica de se relacionar com o numinoso. Ele ainda valoriza esse numinoso, que é tudo aquilo que a gente busca nas experiências espirituais, nas religiões, nos rituais, no contato com a natureza, no ocultismo e em lugares que hoje ganham profusão nos centros urbanos, não à toa.

Atendimento de litoterapia com Letícia grossi na Casa Madre Luna

Quando me deito numa maca, totalmente entregue aos cuidados de um terapeuta holístico, sinto a mágica, a lógica de tudo conectado e o potencial de trabalhos que alcançam camadas diversas do meu campo existencial. No final do ano passado, fiz duas consultas com a litoterapeuta Letícia Grossi na Casa Madre Luna e pude me apropriar ainda mais desses saberes e poderes invisíveis. Com um pêndulo de cristal, fizemos uma investigação completa da minha saúde e de aspectos energéticos gerais. Avaliamos o equilíbrio dos chacras principais e a presença de padrões e emoções que pudessem estar latentes demais. Foi um raio-X da alma, no momento presente, mas que traz dados do passado e que podem definitivamente influenciar o futuro. O método de medição de energia vem da radiestesia que capta por meio de instrumentos como o pêndulo as frequências vibracionais e ondas de energias negativas e positivas.

Aplicação das pedras durante um sessão de litoterapia

Numa sala, toda preparada com outros cristais para a proteção do tratamento, conversamos por longas três horas lendo o resultado do exame. Partimos para uma sessão de limpeza e equilíbrio e depois fomos nos pontos que precisavam de mais trabalho e cura, com os cristais certos para cada um deles. Por todo o corpo e em todo o momento, pude sentir um intenso calor da presença imaterial mas muito potente desse elementos de cura, percebi luzes de várias cores em volta de mim e até o resultado de tanta energia se manifestando em pequenos movimentos, especialmente, nos locais mais fragilizados que estavam sob maior influência das pedras. Não senti dor, apenas muito relaxamento, tranquilidade e uma sensação de purificação profunda. Estava no colo do mundo, de um mundo acolhedor, regenerador, feito de coisas e pessoas poderosas, como eu e a Letícia, ali, juntas no silêncio absoluto do oculto.

Letícia Grossi/Fotos de divulgação: Paulo Pereira

Saí limpa, com a mente clara, os objetivos organizados, o corpo mais leve, e com a sensação de que preciso fazer isso com mais frequência, como um check up geral, um preventivo. Para os próximos 25 dias, Letícia ainda me recomendou um elixir de pedras para tomar toda noite. No primeiro sonho, já processei uma série de questões que estavam boiando num canto parado da mente, precisando escoar para fora da minha história. Um monte de entulho emocional que eu nem sabia que morava ali foi sendo dissolvido durante o tempo em que bebi o elixir, que nada mais é do que 200 ml de água com os cristais mergulhados por pelo menos 12 horas. Enfim, todo esse processo antes de começar 2020 foi transformador, uma experiência que faço questão de recomendar.

O CAMINHO DAS PEDRAS

A Casa Madre Luna, onde Letícia atende, é um centro cheio de possibilidades para essas experiências sutis que expandem a consciência e os poderes pessoais. Lá, desde 2018, existe um fluxo interessante de terapeutas (a maioria é mulher) promovendo vivências e workshops voltados para o conhecimento espiritual e a saúde total, com apoio de conhecimentos ancestrais e outros métodos integrativos. A direção e curadoria da casa ficam por conta das sócias e amigas Danielle Fustinoni e Elaine Azevedo. Para saber sobre a programação da Casa Madre Luna, acompanhe seus perfis no Instagram e Facebook.

Endereço: Rua Pombal, 86, Sumarezinho, São Paulo, telefone: (11) 98251-5285.

+ Boca, cabelo e unha no verão com cosméticos naturais

+ Não subestime o poder das pedras, se você acredita nelas

*foto da capa: @artokree no Unsplash

mandala lunar autoconhecimento

2020 começa lindo aqui na Bahia e, já influenciada por sua força transformadora, resolvi escrever sobre um “pulo do gato” que tem me ajudado muito na minha jornada de autoconhecimento desde o ano passado: A Mandala Lunar.

Ela é na verdade um planner, uma agenda completa com calendários lunares e mandalas para cada lunação do ano. A ideia dessas mandalas é criar o hábito de olharmos com atenção para o nosso emocional, nosso corpo e entender como funcionamos a cada fase do mês e do ciclo menstrual. Pintamos com cores que escolhemos a intensidade e as qualidades das emoções, assim como aprendemos a codificar do nosso jeito ainda outras características comportamentais e até mesmo do ciclo.

As ilustrações acompanham toda a publicação e são criações de designers mulheres que através de seus traços nos passam as muitas camadas de todo esse conhecimento, abrindo ainda outras portas de percepção e de apropriação do material abordado na Mandala. Fiquei especialmente feliz em ver as artes da Julia Vargas nas páginas iniciais e em muitas outras. Ela, além de ser uma amiga querida, tem me inspirado faz tempo com suas imagens e mensagens sutis. Recentemente, também assinou as ilustrações do livro A Menina que Virou Lua, escrito pela Morena Cardoso (terapeuta conhecida pelo lindo projeto Danza Medicina) e editado pela Letramento. Outra preciosidade que vale ter, guardar e passar para as próximas gerações.

autoconhecimento feminino
Fotos: Victor Affaro

No final, criamos um estudo sobre nós, um mapa individual e único que clareia a mente sobre nossas potencialidades e fortalece a intuição, já que, com este “pulo do gato”, fica mais fácil entender como a nossa natureza se expressa no mundo, como funcionamos de acordo com o momento e o ritmo em que estamos, influenciadas pela Lua e suas quatro fases. Assim, temos a chance de nos conectarmos conscientemente com a nossa essência para enfim nos desenvolvermos, na área que quisermos, sintonizadas com as nossas verdades. E ainda sabendo como organizar melhor a agenda da vida prática, considerando as datas em que estaremos mais dispostas para o trabalho, para a ação.

Esta já é a 5ª edição da Mandala Lunar, um projeto muito especial, concebido por três amigas intuitivas e estudiosas do sagrado feminino: Ieve Holthausen, Naíla Andrade e Victoria Campello. Ela vem cheia de informações sobe o ciclo menstrual, as fases da Lua e também sobre as estações do ano (Solstícios de Verão e de Inverno e Equinócios de Outono e da Primavera). É um guia amoroso para quem está no caminho da expansão da consciência.

Um exercício, enfim, que desperta saberes e alimenta o mundo com o melhor de cada um. Boa jornada a todas nós!

Para saber mais sobre a Mandala Lunar, clique aqui

Veja o trabalho da Julia Vargas, clique aqui!

+ NO ANO DO SOL, BRILHE!